sábado, 16 de janeiro de 2010

Democracia

Uma coisa tão comentada essa tal...
Tal... Democracia... Democracia...
Será que realmente existe isso onde vivemos?
Será que isso pode ser dito no Brasil?

O que é democracia pra você?
Ter direito de votar?
Ter direitos iguais?
Ter livre vontade de escolha?

Mas não é bem isso que ocorre onde vivemos
Direito de votar os jovens tem, por ser interessante
Interessante para os políticos, pois foram eles que concordaram
Votaram e fizeram como “lei-facultativa” o direito de 16 anos ao voto

Mas o cidadão com 16 anos pode votar
Porém, não podem responder criminalmente
Não seria algo contraditório?
Pode escolher o presidente, mas não pode responder...

Seria a democracia, você poder roubar milhões
Milhões de dólares e não ser julgado
Ou você roubar uma galinha para ser refeição na sua casa
E ser preso, algemado e ter a imagem posta na televisão?!

Aonde está o raio dessa tal democracia?!
Não é direito igual para todos
Roubou milhões? Vai preso
Roubou galinha? Vai preso

Cadê a Democracia?!
Aonde está a Democracia?!
Em Brasília?!
Em Brasília?!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Ingratidão

Fico assistindo reportagens que mostram tragédias
Tragédias em escala regional, nacional e mundial
Tragédias que nos fazem refletir no que somos
Quem somos e o que podemos fazer pra ajudar

Nossos corações ficam quebrantados diante disso
Ficamos sentidos com tudo o que vimos
A tristeza começa a rondar nosso Ser
E aí? O que podemos fazer para ajudar?

Não quero ser demagogo e muito menos pessimista
Mas ainda há uma minoria de seres humanos
Que não podem ser denominados como seres humanos
Nem tampouco ser denominados como animais

Pois tem alguns animais que são fiéis e amigos do Homem
E a cada dia que passa, eu vejo mais desumanidade
Vejo que a ingratidão vem imperando no mundo
E observo que estamos caminhando pro fim

Um fim não tão longe e sim bem próximo
Pergunto-me se devo continuar ajudando o próximo
Mesmo sabendo que a ingratidão baterá a minha porta
E sei que não posso generalizar que todos que eu ajudar serão ingratos

Porém, bate um sentimento de revolta
Bate um sentimento de fracasso
Onde parece que você não conseguiu completar a prova
Prova essa, que é de apenas ajudar ao próximo

Quero continuar ajudando
Mas Deus, me dê forças para continuar
Ainda há pessoas que precisam de mim
Ajuda-me Deus, ajuda-me!

(Inspirado no cotidiano da minha vida. Peço desculpa aos meus amigos leitores, pois sei que aqui vocês encontraram até hoje, apenas poemas de alto astral ou críticas. Desculpem-me, mas hoje preciso expressar meus sentimentos...)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

De outro ângulo, de outra forma

O encontro de duas pessoas
Troca de olhares e sorrisos
Troca de palavras e sentimentos
O encontro dito como “Perfeito”

Amizade que vai se fortalecendo dia a dia
Amizade que vai aumentando mês a mês
A ponto de um implicar com o outro
Todas às vezes que se vêem

Até quando essa amizade se torna em Amor
Porém, um Amor oculto onde não é expressado
Expressado de uma forma clara onde ambos se entendam
Um Amor onde apenas os “de fora” vêem

Um Amor onde ambos não assumem
Um Amor do tipo “chove e não molha”
Onde a indecisão se torna uma barreira
Ou até mesmo a timidez nos impede de algo

Descobri esse amor através de uma pessoa
Pessoa essa que me fez enxergar a situação
De outra forma, de outro ângulo
Mostrando-me outra imagem


Dentro da mesma imagem que eu via
Porém com uma interpretação diferente
Com pensamento diferente
Com uma virtude sem igual

Vou Amar, sem medo de me decepcionar
Preciso Amar, sem medo de errar
Necessito Amar, sem medo de arriscar
Quero Amar, sem medo de me apaixonar

(Inspirado em uma situação que estou vivendo já há algum tempo. Já posso denominar essa situação como memorável e única).

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Amor Obsessivo, Ciúme Doentio

É muito bom Amar
É ótimo ser Amado
É lindo ver um casal junto
É memorável ter um Grande Amor

Mas como demonstrar esse amor?
Até quando deve ter ciúmes?
Como demonstrar esse ciúme?
Como acreditar na pessoa que amamos?

Existem pessoas que extrapolam a forma de amar
Acham que são donos da pessoa que está ao seu lado
Ciúmes que extrapolam os níveis aceitáveis
Beliscões, puxões de cabelo, agressões começam a surgir

Será que isso é forma de Amar?
Agredindo a outra pessoa?
Será que não é o momento para refletir
Refletir suas atitudes e rever seus conceitos?

Amor Obsessivo
Amor Compulsório
Amor Doentio
Amor Psicopata

São esses tipos de amor que temos hoje?
Seqüestrar a pessoa que “amamos”?
Espancar quem dizemos que “amamos”?
Matar quem gritamos que “amamos”?

A irreverência do Amor não é isso
A essência do Amor é diferente disso
Esse sentimento nos traz felicidade
E não atrocidade como vemos por aí

Quem ama NÃO espanca
Quem ama NÃO bate
Quem ama NÃO maltrata
Quem ama NÃO MATA!

Pregoarei sempre o lado bom do Amor
Acreditarei eternamente no Amor
Um Amor sincero, Amor romântico
E não em um Amor violento

Devemos saber sempre que teremos vários amores
E se não deu certo com aquela pessoa
Amanhã dará certo com outra
Pois a vida é de acertos e erros

Não temos o direito de tirar a vida de ninguém!
Ninguém é propriedade de ninguém!
Somos livres para nos relacionarmos!
A vida é feita de livres escolhas!

Que o amor seja eterno enquanto dure
E que seja uma duração de felicidade
Com momentos de risos e alegrias
Momentos que fiquem registrados em nossas vidas

(Inspirado na violência doméstica que ocorreu e ocorre no Brasil e no Mundo. O Caso de São Paulo em 2008 onde a jovem foi seqüestrada por 100 horas e depois assassinada pelo ex-namorado. E também o caso do ônibus 499 em setembro de 2006 que foi seqüestrado na Via Dutra por um homem que não aceitava o pedido de separação da esposa).

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Reencontro

Amava muito uma pessoa
Até quando ela pediu separação
Sofri por longos e dolorosos dias
Dias que pareciam ser eternos

Sofrimento esse, que me ensinou
Que nada nessa vida é como queremos
Porém, eu não queria saber de nada naquele momento
Fiquei sem chão e o teto caiu sobre minha cabeça

Separação que me rendeu lágrimas
Amarguras, tristezas e isolamento
Perguntava-me como eu iria viver
Viver sem a pessoa que eu mais amava

Quando até então ouvi uma voz
Voz que dizia para eu não desistir
Para eu ter calma que tudo iria se resolver
Mas mesmo assim eu me abati

Mas um dia resolvi jogar tudo pro alto
Tristezas, amarguras, isolamento...
E voltei a viver a minha vida
Mesmo sabendo que a separação estava ali

Rondando-me e querendo me derrubar
Mas olhei para os Céus e pedi forças
Forças para continuar a minha caminhada
Forças para aceitar tal situação

E aquela voz sempre dizendo
Calma, tudo vai dar certo
Tudo vai se resolver
Basta dar tempo ao tempo

E foi o que fiz, dei tempo
Entreguei nas Mãos de Deus
E pedi para que Ele me ajudasse
Nessa jornada de intenso sofrimento

E consegui dar a volta por cima
E os dias foram passando, passando
E Deus me dando forças para continuar
Para eu não me deixar levar pela tristeza

E hoje reencontrei essa pessoa
Pessoa que amei muito no passado
E que o destino nos separou
Ou o sentimento que acabou

E quando a reencontrei não acreditei
Pensei que nunca mais a veria
E hoje tivemos a chance de recomeçar
A voltar a ficar juntos

Entretanto, tudo na sua calma
Na sua devida hora e momento
E creio que a voz que ouvia
Era Deus falando comigo

Falando para eu ter calma
Que Ele iria resolver tudo
Aparar as arestas desse relacionamento
E foi assim que ele fez

(Inspirado no relacionamento que tive em 2008 e que terminou. Hoje nos reencontramos, e podemos dar um novo fim ao que acabou.)

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

O Encontro

Quando olhei pela primeira vez me encantei
Encantei-me pelo seu olhar
Pelo seu sorriso reluzente
Pela sua beleza encantadora

Um encontro de apenas alguns minutos
Minutos estes que pareciam uma eternidade
Troquei apenas algumas palavras com ela
Palavras estas que guardo comigo até hoje

Depois de alguns dias nos encontramos no Orkut
Um Encontro simples e normal
Mas uma simplicidade que foi deslumbrante
Uma normalidade fora do comum

Um dia nos encontramos no MSN
Conversamos quatro horas e meia
Não sei da onde tiramos tantos assuntos
Mas foi uma conversa sem igual

Quando eu a encontro
Meu coração pulsa
Uma pulsação de alegria
Porém uma pulsação diferente

Algo que nunca senti por ninguém
Apesar dos meus vastos sentimentos
Esse é inédito, único e exclusivo
Algo já mais sentindo

Fico feliz por tê-la como amiga
Saber que amanhã vou encontrá-la
E ver aquele lindo sorriso cativante
E ver sua beleza encantadora

Felicidade é isso
Nas pequenas coisas da vida
Em um sorriso
Em um abraço

Em um carinho
Em um telefonema
Ou em um simples Encontro
Mas que seja um Encontro irreverente

(Inspirado em uma pessoa sensacional, linda e inteligente. Laís, esse é seu!)

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Até Quando....???

Dê uns anos pra cá, estamos vivendo tristes
A violência está imperando em nossas vidas
Os governantes nada fazem por nós
Cidadãos de bem

Cadê a nossa paz de antigamente?
E a tranqüilidade? Onde foi parar?
Antigamente podíamos sair tranqüilos
Sem ter medo de balas perdidas e assaltos

Tínhamos uma certeza quase absoluta
De que sairíamos e voltaríamos bem para casa
Hoje não temos nem certeza se sairemos
Bandidos adentram as nossas residências

Tiram a nossa paz
A nossa tranqüilidade
E cadê os governantes?
Devem estar tomando suquinho nesse momento

Rindo da gente, fazendo piada com a vida alheia
Rindo da guerra que está tendo no mundo
Ou então devem estar comprando um carro 0km
Colocando parentes “laranjas” para “trabalhar” com eles

E a gente aqui
Cidadãos de bem sofrendo
Fome, sede, saúde precária
Violência, medo

E onde nós vamos parar?
O que podemos fazer?
Será que juntos conseguiremos
Sobreviver nessa cidade sem lei

Leis que até então existem, mas são impraticáveis
Será que vai ter que morrer mais inocentes
Para que esses bandos de incompetentes acordem?
O que será de nós, cidadãos de bem?

Até quando isso vai ocorrer?
Essa violência não acabará?
A saúde não vai melhorar?
A desigualdade não terá um fim?

Até quando?
Até quando?
Até quando?
Até quando?

(Inspirado na violência, guerra urbana no Rio de Janeiro que não acaba. Até quando viveremos nessa cidade sem-lei?)